ALEMANHA · VIAGENS

Viagem à Alemanha – Füssen

Após a nossa estadia em Munique, o próximo destino foi Füssen. Na véspera da viagem, fomos à Hauptbahnhof de Munique (Estação Ferroviária Central) e compramos as nossas passagens de trem em um terminal de autoatendimento. A empresa responsável pelo transporte ferroviário da Alemanha é a Deutsche Bahn e ela também oferece a opção de compra online. Optamos por comprar desta maneira, pois como seria um trecho regional (Munique e Füssen fazem parte do mesmo estado, Baviera ou Bavária em português) a tarifa se mantém fixa, não é necessário adquirir com antecedência. Observamos também que a compra das passagens para uso em grupo de até cinco pessoas era mais vantajosa que o individual. Pagamos 30,00 € para três pessoas.

Pegamos um itinerário sem baldeações e após 2h30 de viagem chegamos à Füssen. A primeira impressão que tive foi a de estar em uma típica cidade alemã, destas que vemos em cenários de filmes e novelas! Tudo muito bonitinho e delicado! Seguimos a pé até o endereço da nossa hospedagem, o Apartment Scheibel Füssen. O proprietário já estava esperando por nós e foi muito atencioso no check in e nas orientações. O nosso apartamento ficava no andar superior da residência e nos acomodou perfeitamente. Muito bem equipado e mobiliado, na minha opinião, os únicos inconvenientes eram a localização da pia, que não estava no banheiro, e sim dentro do quarto, e o fato do hotel não possuir elevador, o que dificulta subir as escadas com bagagens grandes e pesadas. Pensando nisto, a Luiza pediu para o proprietário guardar uma das malas dela no térreo, e ele atendeu prontamente.

O principal passeio que planejamos fazer lá era a visita ao Schloss Neuschwanstein (Castelo do Cisne de Pedra). Em nossas pesquisas descobrimos que esta atração era muito concorrida e que a melhor maneira de garantir o tour pelo interior do castelo era reservando a visita através do site, e foi o que fizemos, com aproximadamente dois meses de antecedência. Informamos a data pretendida, horário desejado, quantidade de pessoas, idioma preferencial do áudio guia e dados do cartão de crédito. Somente após recebermos a confirmação por e-mail é que soubemos que nenhum valor seria lançado no cartão de crédito, o pagamento seria feito pessoalmente no dia da visita, na forma escolhida por nós (cartão ou dinheiro), acrescidos de uma taxa de conveniência de 1,80 € por pessoa, e o valor do ticket é de 12,00 €. É possível cancelar a reserva até duas horas antes do horário marcado para a visita, porém, a opção de remarcar o tour está sujeita a disponibilidade.

Navegando pelo site observamos ainda outras atrações disponíveis próximas ao castelo e que não são muito divulgadas, como visita ao Castelo Hohenschwangau, restaurantes disponíveis (a maioria com menu online) e o Museum der bayerischen Könige (Museu dos reis da Baviera). O site é muito interessante para o planejamento desse dia passeio, porque inclui também a estimativa de tempo gasto para percorrer as principais atrações, seja a pé, de carruagem ou ônibus interno. Uma outra empresa oferece ainda passeio de barco pelo Alpsee (Lago dos Alpes), trilhas, teleférico e outras atividades radicais. Você pode encontrar mais informações clicando aqui.

Voltando a falar da nossa experiência de viagem, depois de deixarmos nossas bagagens no apartamento, pegamos um ônibus próximo à Estação Ferroviária de Füssen com destino à aldeia de Schwangau. Os ônibus 73 e 78 fazem este trajeto. Os horários de partidas podem ser consultados aqui e a passagem dá direito aos trechos de ida e volta por 4,50 €. Havíamos entendido que o bilhete do trem seria válido para estes ônibus também, mas o motorista não aceitou, então tivemos que comprar mais esta passagem. Desembarcamos e fomos à bilheteria. Como já havíamos reservado os ingressos, não precisamos enfrentar a longa fila que havia lá, destinada aos visitantes que comprariam as entradas naquele momento. Logo fomos atendidos em um guiché especial. No Apartment Scheibel Füssen ganhamos um cupom de desconto, de 1,00 € por pessoa, e o utilizamos no momento do pagamento dos tickets. Os horários de funcionamento da bilheteria, bem como dos castelos, podem ser consultados aqui.

Resolvemos começar explorando a pé a região, passamos por uma vila com restaurantes, hotéis, lojas e lanchonetes e em seguida fomos conhecer a área externa do Castelo Hohenschwangau. Pelo caminho apreciamos paisagens de tirar o fôlego!! É de impressionar a beleza natural que vimos lá, cercada pelos Alpes, vegetação nativa e o Lago dos Alpes! A cada momento encontrávamos um lugar bonito para fotografar! O Castelo Hohenschwangau é o mais antigo e sua arquitetura tem traços medieval. Visto de perto ele é mais bonito do que parecia pelas fotos que vimos na internet, mas para não comprometer o tempo que tínhamos para as outras atrações, decidimos não fazermos o tour interno.

Caminhamos em direção à margem do lago e vimos o quanto a água era cristalina! Lindo demais e rendeu belas fotos também!

Almoçamos em um restaurante próximo ao lago, chamado Alpenrose am See. A localização é excelente, muito bom almoçar na área externa com a vista do lago, mas em compensação o atendimento deixou um pouco a desejar. Demoramos a ser atendidos e os nossos pedidos também demoraram para serem entregues. As opções do menu basicamente são de pratos da culinária internacional e algumas opções típicas da Alemanha. Ao lado do restaurante fica o Museu dos reis da Baviera.

Depois do almoço fomos em direção à nossa atração principal, o Castelo de Neuschwanstein! De acordo com relatos históricos, a família real vivia no Castelo Hohenschwangau, e o Rei Ludwig II, avistava a paisagem em frente ao Hohenschwangau e imaginava que ali, rodeado pelos Alpes, seria um ótimo local para um novo castelo, o Neuschwanstein. O próprio rei ajudou no projeto do novo castelo, mas infelizmente ele faleceu antes da obra ser concluída. Em relação ao projeto original, o castelo sofreu algumas alterações, portanto, não está totalmente conforme a ideia do rei Ludwig II.

Fizemos o trajeto até o Neuschwanstein com o ônibus interno, por 1,80 €. Este valor inclui apenas o trecho de subida ao castelo, para descer é cobrado 1,00 € e para a viagem completa, ida e volta, é necessário pagar 2,60 €. O ônibus desembarca os passageiros na Marienbrücke (Ponte da Maria) e de lá pode-se ter uma bela visão do castelo em meio a natureza! O castelo é lindo e se parece muito com os que vimos nos contos de fadas, não é à toa que o Walt Disney se inspirou nele para criar o castelo da Cinderela em Orlando. O único inconveniente da ponte é que ela fica lotada de turistas, dificultando tirar fotos sem que apareçam as outras pessoas. Uma dica que eu dou é aguardar alguns minutos após a chegada dos passageiros do ônibus, assim que o grupo se dispersar ficará melhor para fotografar! Outra sugestão é se posicionar ao final da ponte, lá a quantidade de turistas era menor.A Luiza descobriu, neste post do blog Pequenos Monstros, que após a ponte tem uma pequena trilha, subindo um monte, que oferece uma visão mais privativa do castelo. Eu tentei acompanha-la, mas não consegui. A trilha é muito instável e não me pareceu segura, não possui apoio direito para os pés e as mãos. Desisti e não aconselho, ao menos que você seja muito aventureiro! Rsrs

Nós fizemos a pé o caminho entre a ponte e o castelo e continuamos fotografando o exterior do Neuschwanstein. A nossa visita estava marcada para às 17h20 e outras pessoas também aguardavam próximo à portaria. Há alguns painéis eletrônicos informando qual o atual tour com entrada permitida. Quando compramos nossos ingressos optamos pela visita com áudio guia (em português de Portugal), mas também havia a possibilidade de escolhermos outros idiomas ou sermos acompanhados por um guia convencional, em inglês ou alemão.

A visita ao interior do castelo é rápida, aproximadamente 30 minutos. Nela visitamos as principais dependências e infelizmente não é permitido fotografar o ambiente interno. Guardamos os detalhes da decoração luxuosa e caprichada apenas em nossa memória, mas nesse link estão divulgadas algumas fotos oficiais. Na minha opinião este tour não é apropriado para turistas com dificuldades de locomoção, pois em determinados momentos, tivemos que subir e descer escadas estreitas e em círculos. No entanto, consultei o site novamente e verifiquei que para a visita ao Neuschwanstein há a possibilidade de solicitar,no momento da reserva, um tour diferenciado para o público PNE, com o uso de elevador.

É interessante reservar um dia inteiro para este passeio, assim aproveitará melhor o seu tempo, já que as principais atrações são distantes entre si. Outra dica é utilizar os toaletes localizados nos castelos, tanto nas áreas externas quanto internas, pois estes não são cobrados pelo uso.

Após o tour fomos a pé até a área principal da vila para pegarmos o ônibus de volta à Füssen. Fizemos compras em um supermercado especialmente para o café da manhã do dia seguinte.

À noite, pretendíamos jantar no Gasthof Krone, um restaurante medieval que descobri pela internet, mas quando chegamos lá fomos avisados de que o atendimento já havia se encerrado. Impressionante como os alemães em geral não possuem vida noturna, eram 21h00 de um sábado e tivemos dificuldade para encontrar outro restaurante. Por sorte achamos o Nostalgie-Restaurant Madame Plüsch, que além de ter um horário de funcionamento mais amplo, possuía uma garçonete muito atenciosa conosco e uma decoração vintage interessante. Eu comi uma sopa de batatas e o Lucas adorou a escolha dele, um prato com diversas especialidades da culinária Bávara! Recomendamos este restaurante pelo ótimo atendimento e bons pratos.

No dia seguinte, após o café da manhã, deixamos as chaves do apartamento próximo à porta, pois não encontramos o anfitrião. Interessante como na Alemanha não é necessário ter tanta formalidade, há muita confiança entre as pessoas. Pegamos o trem para Berlim, nosso último destino da viagem e assunto para o próximo post.

Anúncios

4 comentários em “Viagem à Alemanha – Füssen

  1. Ju, apenas duas informacoes para complementar esse otimo post:
    – O “hotel” de Fussen nao tem elevador e isso pode ser um incoveniente para quem tem malas grandes. No meu caso, o proprietario aceitou guardar a mala mais pesada no térreo para mim (isso tambem só foi possivel porque eu poderia ficar sem todos os meus pertences por uma noite).
    – Sobre a trilha, eu nao sou tao aventureira assim, rs. E o crédito por ter descoberto a trilha vai para esse blog aqui: http://www.pequenosmonstros.com/2014/09/neuschwanstein-e-hohenschwangau-os-castelos-mais-famosos-da-alemanha/
    Beijos!! Saudades

    Curtir

    1. Engraçado que a Alemanha não era um destino que eu sonhava em conhecer. Viajei porque surgiu a oportunidade e adorei!! Tem muitos lugares lindos para conhecer por lá! 🙂

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s