ALEMANHA · VIAGENS

Viagem à Alemanha – Munique

Assim que desembarcamos no Aeroporto de Munique compramos o Airport City Day Ticket, que permite usar todas as modalidades de transporte público da cidade, por um dia, de forma ilimitada. Achei interessante que todos os tickets de transporte possuem um determinado valor caso seja para uso unitário ou outro preço se for utilizado para grupo de até cinco pessoas.

Nos hospedamos em um apartamento reservado pelo Airbnb, como eu disse no post Viagem à Alemanha – Hospedagens. Tudo ocorreu bem, a proprietária entregou as chaves para a minha amiga, que chegou à Munique algumas horas antes de mim e do Lucas, e o imóvel era bem confortável. Tivemos dificuldade no primeiro dia apenas para localizar o prédio correto. Este apartamento não era próximo do centro da cidade, mas conseguíamos nos locomover bem, pois o sistema de transporte é integrado e compramos chip 3G para usar no nosso celular, aí sempre que tínhamos dúvida consultávamos na internet.

Para nos deslocarmos nos outros dias compramos o Multiday Tickets, que funciona de forma similar ao outro, a principal diferença é que este era válido por três dias e não incluía as regiões mais distantes do centro da cidade. Em toda Alemanha não há sempre um funcionário para conferir o bilhete do transporte, eles confiam que todos os passageiros o possuem. Caso alguém seja pego sem ticket deverá pagar uma multa.

Em Munique nossa principal atração foi a Oktoberfest, mas conseguimos conhecer também alguns dos pontos turísticos da cidade.

  • Karlsplatz (Praça de Carlos)

Uma praça no centro da cidade com um enorme chafariz. É um bom local para descansar ou fazer um lanche, como nós fizemos rsrs. Bem próximo há um antigo portal medieval, chamado Karlstor. Eu achei um charme!

Seguindo pela rua do portal tem várias lojas legais e artistas fazendo apresentações.

  • Marienplatz (Praça da Maria)

Um dos principais pontos turísticos da cidade localizado na área central. Reúne muitos turistas interessados em admirar e fotografar a belíssima fachada da Neues Rathaus (Nova Prefeitura). Construção imponente e rica em detalhes, que nos faz pensar tratar-se de uma igreja. Por falar em detalhes, no centro da torre há alguns bonequinhos, que em determinados horários do dia, fazem uma apresentação ao som de músicas e sinos, chamado de Glockenspiel. Infelizmente não chegamos a tempo de assistir.

  • BMW Welt (Mundo BMW)

O BMW Welt é um espaço moderno em que estão expostos os modelos de carros e motos mais recentes da marca. É uma atração gratuita e muito legal. É permitido entrar e fotografar a maioria deles. Há também uma loja com diversas opções de souvenires BMW.

Além do BMW Welt existe o BMW Museum (Museu da BMW), interligados por uma passarela, que expõe os modelos mais antigos e tradicionais. Este é cobrado ingresso e nós não visitamos pois não tínhamos mais tempo disponível.

  • Olympiapark (Parque Olímpico)

O Parque Olímpico de Munique está localizado nas proximidades do BMW Welt e do BMW Museum, então é interessante conciliá-los num mesmo dia de passeio. Foi construído para as Olimpíadas de 1972 e, atualmente, além de sediar alguns eventos, é um ponto turístico muito visitado. A entrada ao parque é gratuita e o visitante paga apenas por algumas atrações que desejar visitar, como por exemplo, o tour pelo estádio.

Logo na entrada vimos um belo lago com peixes e patos. Fiquei impressionada com a água cristalina. Na margem do lago tem algumas estrelas no chão, indicando uma “calçada da fama”, com nomes de diversas personalidades que já se apresentaram lá.

Em relação às atrações, fomos apenas na Olympiaturm (Torre Olímpica). Pagamos 7 Euros e tivemos acesso ao topo da torre por meio de um elevador. São 291,00 m de altura. A vista é espetacular! Vimos toda a extensão do Parque Olímpico, os prédios da BMW e uma visão geral de Munique. No alto da torre há ainda um mini museu do Rock e um restaurante giratório.

  • Englischer Garten (Jardim Inglês)

O Englischer Garten é o maior parque urbano da Alemanha e, por este motivo, é muito difícil visitá-lo por completo em um único passeio. A entrada ao parque é livre e gratuita, não há horário específico de funcionamento. Dentro do parque circulam alguns ônibus do transporte público de Munique, então esta é uma boa opção para economizar no tempo de caminhada e ir até os locais de interesse. Há também a possibilidade de alugar bicicletas.

Nossa primeira parada foi na Chinesischer Turm (Torre Chinesa), onde almoçamos. Trata-se de um Biergarten (Jardim da Cerveja) com uma ótima estrutura. Os clientes devem ir até os balcões para fazerem seus pedidos. Todas as comidas disponíveis são típicas da Alemanha e já estão prontas para serem servidas, aí o cliente faz o pedido diretamente para o funcionário responsável por aquele prato e logo em seguida o recebe e coloca-o na bandeja. O mesmo funciona para as bebidas. Ao finalizar o cliente vai até o caixa e faz o pagamento. No horário que fomos estava um pouco tumultuado, então demoramos um tempinho para entendermos como era o funcionamento, mas basicamente é isso. Após pegarmos nossos pedidos escolhemos uma das mesas para almoçarmos. Eu pedi o Käsespätzle (um tipo de massa artesanal com molho de queijo) e a Luiza e o Lucas comeram o Currywust (salsicha cortada com ketchup e curry acompanhada de batata frita). Infelizmente não lembramos de fotografar as comidas, mas estava tudo ótimo! No centro do Biergarten tem uma enorme torre em estilo chinês, o que deixa o local ainda mais bonito!

Depois de almoçarmos caminhamos pelo parque, mas percebemos que ele não é sinalizado tão bem. Encontramos alguns mapas posicionados em locais estratégicos e algumas placas. Se tivéssemos um mapa impresso o deslocamento seria mais fácil. Fomos até o Monopteros, uma construção em estilo greco-romano sustentada por colunas, localizada no alto de um pequeno monte. A arquitetura é muito bonita e é um bom local para apreciar a vista do parque e, nosso caso, também pudemos nos proteger do sol, que estava forte no dia.

Por fim, fomos até o Eisbach (córrego gelado), um trecho do Rio Isar que percorre o parque e a cidade. A água é cristalina e a paisagem linda! O som da correnteza traz uma sensação de tranquilidade e paz, mas não é só sossego que os frequentadores do Eisbach procuram. Em um determinado ponto o Rio Isar forma uma onda contínua e vários moradores se aventuram a surfar no rio. Apesar de ter placas indicando a proibição da prática do surf e do nado, as pessoas não respeitam. Os praticantes do surf no rio vão equipados com pranchas e roupas de neoprene e logo se aglomeram curiosos para assistir, seja à margem do rio ou de cima de uma das pontes. Nós assistimos e realmente é uma atividade inusitada e interessante!

O Eisbach está localizado em um dos acessos de entrada/saída do parque, então, após observamos os surfistas seguimos para o nosso próximo destino.

  • Hofgarten (Jardim da Corte)

Localizado no centro histórico de Munique, o Hofgarten é um lindo jardim aberto ao público e gratuito, anexo ao Residenz München (Residência de Munique), antigo palácio onde a família real viveu por muitos anos. Atualmente as dependências do palácio são utilizadas como museus e galerias de arte. A visitação ao interior do Residenz München necessita de compra de ingresso e está sujeita aos horários de funcionamento.

O Hofgarten é um bom local para caminhar, descansar e fotografar. No centro do jardim há uma construção chamada Templo de Diana e no dia que estivemos lá, tinha um violinista se apresentando, o que deixou a visita ainda mais especial.

Nas imediações do Hofgarten encontramos o Bayerische Staatskaziei (Chancelaria do Estado da Bavária). Achei muito interessante observar esta construção restaurada com o contraste entre a arquitetura antiga e a moderna.

  • Odeonsplatz (Praça de Odeon)

A Odeonsplatz é uma praça próxima ao Hofgarten. É uma região que concentra muitos pedestres, restaurantes e artistas de rua. A atração principal é o Feldherrnhalle um imponente monumento de estilo italiano que abriga esculturas que homenageiam o exército da Bavária. 

  • Schloss Nymphenburg (Palácio Nymphenburg)

O Palácio Nymphenburg era a atração mais próxima do nosso apartamento, localizado na região norte da cidade. Inserido na área urbana, o palácio chamou a atenção até mesmo quando o vimos de dentro do bonde. Interessante que ele não é um palácio com altura elevada, a maior dimensão dele é na horizontal, o que torna até complicado enquadrá-lo em uma única foto.

Construído em estilo barroco o palácio foi usado pela família real como residência de verão. Atualmente todas as dependências da edificação são abertas ao público para visitação. Nos concentramos apenas nos jardins, que além de plantas contém esculturas, chafarizes e um lago, em que nos meses de verão é possível fazer um passeio de gôndola. A visita ao jardim é gratuita, já para as demais áreas é necessário comprar o ticket, são elas: interior do palácio, museu das carruagens e porcelanas e o Jardim Botânico.

Nossa estadia em Munique foi rápida, apenas três dias, e neste período conseguimos conhecer estas atrações listadas. Em algumas delas a visita não foi tão completa, mas fizemos tudo que foi possível, dentro da nossa limitação de tempo. Aproveitamos os principais pontos da cidade, mas ficamos com um gostinho de conhecer mais e melhor. Tomara que possamos voltar lá em uma das nossas próximas viagens!

Anúncios

Um comentário em “Viagem à Alemanha – Munique

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s