ALEMANHA · PLANEJAMENTO · VIAGENS

Viagem à Alemanha – Planejamento financeiro, câmbio e gastos

Eu pretendia postar sobre este assunto antes da viagem, mas eu não consegui, porque estava ocupada com os preparativos e ansiosa para o grande dia! A viagem foi ótima! Conheci vários lugares lindos e curiosidades sobre a Alemanha! Depois contarei tudo com mais detalhes!

Pois bem, a moeda utilizada na Alemanha é o Euro. Pesquisamos os valores dos nossos principais gastos durante a viagem (hospedagem em Füssen e Berlim, tours, pontos turísticos, transporte público e passagem de trem) e estimamos os demais (alimentação, uso de banheiro público, souvenires, compras, etc) com base em informações encontradas em alguns sites.

Sim, descobrimos que a maioria dos banheiros cobram uma taxa para uso! Para o nosso alívio, na realidade não foi bem assim. Durante toda a viagem foram poucos os estabelecimentos que tivemos que obrigatoriamente pagar a usar o toalete, e o valor variava entre 0,50 € e 1,00 €. Na maioria das vezes, a contribuição era voluntária ou nem mesmo era pretendida. Falando em banheiros teve um fato que me chamou a atenção: em uns dois toaletes femininos que eu entrei havia um homem para ajudar nos entregando papéis para secar as mãos! 😱 Achei bem estranho! rsrs

Voltando ao assunto principal do post, a partir dos dados coletados, determinamos inicialmente que cada um deveria levar no mínimo 1000,00 €. Chegamos à esta conclusão faltando um prazo de cinco meses para a viagem. Como a cotação do Euro estava muito alta no primeiro semestre de 2016, tive a ideia de comprarmos os Euros aos poucos, 200,00 € por mês. Assim, conseguiríamos nos planejar melhor sem depender da especulação cambial.

Acompanhamos diariamente a cotação do Euro pelo Melhor Câmbio, que mantém atualizado em um único site e/ou aplicativo a cotação de diversas casas de câmbio localizadas em várias cidades do Brasil. Um recurso interessante que ele oferece é a possibilidade de o cliente lançar uma oferta equivalente ou abaixo da cotação daquele momento, aí caso alguma casa de câmbio se interesse, o usuário recebe a resposta via e-mail.

A plataforma do Melhor Câmbio também indica as opções para o interessado entrar em contato diretamente com as casas de câmbio, seja pela divulgação de telefone ou link da loja virtual. Assim, caso o cliente não queira dar uma oferta pelo Melhor Câmbio ou ache que está demorando para receber uma resposta à proposta, poderá ir diretamente à loja virtual da casa de câmbio escolhida e realizar todos os procedimentos por lá. Na maioria das vezes a cotação divulgada é a mesma em ambos os locais.

Durante o planejamento resolvemos aumentar a quantia que cada um deveria levar, afinal de contas era melhor sobrar dinheiro do que faltar! Rsrs Assim, eu comprei 1300,00 € para os meus gastos. Como sou meio consumista e adoro as novidades e preços do Duty Free, levei também U$ 100,00 justamente para esta finalidade.

No total, realizei sete compras de moedas estrangeira. Na primeira delas, lancei uma oferta no Melhor Câmbio e ela foi aceita pela Cotação com entrega em domicílio sem custo adicional. As demais compras foram realizadas com a Confidence Câmbio, a qual ocupava sempre a posição de menor cotação do mercado.

Todas as minhas transações na Confidence Câmbio foram feitas pelo site da empresa e o pagamento por transferência bancária. Para receber os Euros eu escolhi a opção de retirar pessoalmente em uma das lojas, após dois dias úteis da confirmação do pagamento. Há a possibilidade também de receber o dinheiro em nossa residência, mediante pagamento de frete.

O uso exclusivo de moeda em espécie em viagens internacionais tem algumas vantagens, como a possibilidade de acompanhar a cotação e realizar o câmbio no momento mais favorável, pagamento de IOF inferior ao cobrado pelo cartão de crédito e melhor controle dos gastos. Porém, representa também uma situação de risco, propensa à assaltos ou perda do dinheiro. Mesmo assim, acreditamos que esta era a melhor opção para nós e só pretendíamos usar o cartão de crédito se houvesse algum imprevisto. Eu usei o meu cartão apenas para pagar compras que duas amigas me encomendaram durante a viagem, assim não comprometi parte do meu dinheiro com isso.

A quantia que eu levei foi suficiente e ainda sobrou! Em geral meus gastos envolveram hospedagem, alimentação, compras, passeios e transporte, que podem ser melhor visualizados no gráfico abaixo.

O meu custo com hospedagem não foi elevado porque eu consegui economizar bastante no hotel de Berlim, como eu expliquei no post Viagem à Alemanha – Hospedagens e o apartamento que alugamos em Munique já estava pago.

Na categoria “Transporte” incluí o uso de transporte público em todas as cidades visitadas e o trecho de trem entre Munique e Füssen.

Somente no hotel de Berlim tivemos o café da manhã incluso na hospedagem, assim, todas as outras refeições estão agrupadas no item “Alimentação”, bem como sobremesas e bebidas.

Em Munique e Füssen visitamos apenas dois pontos turísticos que cobravam ingresso. Já em Berlim compramos um guia turístico (Berlin Welcome Card) que oferecia descontos nos tickets das principais atrações e uso de transporte público ilimitado. Também incluí na categoria “Passeios” um tour realizado com o Canal Alemanizando.

Então, “Compras” representou o meu maior gasto durante a viagem! Foi uma surpresa para mim, percebi apenas depois de lançar esses dados no gráfico! Kkkk E o que eu comprei? Um dirndl (vestido típico Bávaro) para ir caracterizada à Oktoberfest, chip de celular para conexão 3G, lembrancinhas do país, chocolates alemães e suíços, e claro, alguns itens de beleza, como perfume, produtos para o cabelo e maquiagens!! Quanto aos meus dólares, usei só para comprar um pó da MAC, ainda no Duty Free do Brasil e esta compra não foi agrupada nestes cálculos.

Na categoria “Outros” eu incluí o uso de toaletes e guarda volumes.

É importante relembrar que neste post estou considerando apenas os gastos realizados durante a viagem e pagos em Euro. As passagens aéreas, hospedagem em Munique, seguro de viagem internacional e trecho de trem entre Füssen e Berlim foram pagos anteriormente em Real.

Enfim, visitei meus principais locais de interesse e comprei a maioria das coisas que desejava. Na verdade, só não fiz mais passeios porque não deu tempo e não fiz mais compras porque não encontrei todos os produtos da minha wishlist! rsrs 😁

 

Anúncios

Um comentário em “Viagem à Alemanha – Planejamento financeiro, câmbio e gastos

  1. Querida amiga, esse post apenas provou que voce é uma consumista de mao cheia, afinal seu principal gasto de viagem nao foi realmente “na viagem”, mas sim com compras… hahahaha
    Acho que a hospedagem de munique, mesmo que ja estivesse paga, poderia ser incluida ai, apenas para dar uma nocao mais real do gasto! porque foi altissima, né? rs
    Beijos beijos!!! Adorei o post.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s