BH · RESTAURANTES

Paris 6 – Belo Horizonte

Desde o final de julho foi inaugurada em Belo Horizonte uma unidade do Paris 6, a qual tem como um dos sócios o jogador Diego Tardelli. As outras filiais concentram-se em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e, em breve em Campinas e Miami Beach.

O Paris 6 é um bistrô francês vintage aberto ao público todos os dias da semana, com funcionamento de 07h00 às 03h00. A decoração é inspirada em estabelecimentos parisienses da década de 20, dando ao local um clima charmoso e retrô. Apesar da aparência sofisticada, o cliente não se sente intimidado por ser um local “relativamente chique”, pois outros elementos descontraem o estabelecimento, como cartazes de peças de teatro, imagens e caricaturas de artistas, a maioria mineiros, como Isis Valverde e Ziraldo.

O bistrô está localizado no Shopping Pátio Savassi (Av. do Contorno 6061 – Savassi), piso L2 próximo à portaria da Rua Lavras. Após o horário de fechamento do shopping (23h00) e durante o café da manhã, o ingresso ao bistrô é permitido apenas pela varanda externa com acesso pela Rua Lavras. Fora estes períodos, a entrada pela varanda é desativada e o acesso é realizado pelo corredor interno do Pátio Savassi.

Lucas e eu fomos em uma segunda-feira, uma semana após a inauguração. Chegamos por volta das 18h00 e várias mesas estavam disponíveis. No entanto, reparei que mais tarde já havia fila de espera. O Paris 6 também oferece reservas pelo telefone (3318-1800).

A casa possui três ambientes: uma varanda externa com vista para a Rua Lavras, um salão principal onde estão expostos os quadros das celebridades e uma área próxima ao bar, que foi onde nos sentamos. As mesas são pequenas, a princípio comportam apenas duas pessoas, porém os funcionários as agrupam de forma que atendam à necessidade dos clientes.

Acreditamos que para o consumidor PNE seja preferível entrar no bistrô através do shopping, uma vez que este possui elevadores e rampas. Além disso, ao acessar o Paris 6 desta maneira, o cliente apenas poderá usufruir da área próxima ao bar (a qual também é passagem aos toletes), pois há degraus para os demais ambientes.

Percebi também que os garçons não tinham compreensão de todos os itens do cardápio, o que dificultou um pouco quando queríamos tirar alguma dúvida. Imagino que agora eles já estejam mais familiarizados. Por falar em cardápio, nunca tinha visto um tão completo em outros restaurantes! O bistrô tem menus específicos para bebidas, comidas, pratos infantis e sobremesas. Tem opções para todos os gostos, inclusive algumas sugestões de pratos fit para quem não quer fugir da dieta! Rsrs. Um detalhe interessante é que cada prato leva o nome de um artista brasileiro, o que torna a escolha do pedido mais divertida. Gostamos também da apresentação dos itens no cardápio, eles estão organizados em ordem crescente de valores.

Fiquei com a impressão de que o bistrô se preocupa em dar boas informações aos clientes, pois além do cardápio detalhado e caprichado, reparei que o saleiro estava etiquetado com a data de abertura do condimento e prazo de validade. Foi a primeira vez que vi isso!

Para beber o Lucas pediu um drink de Perrier com morango e eu o Suco Paris 6 (suco misto de diversas frutas e estava muito bom). Não lembro exatamente os valores deles, mas acho que era algo em torno de R$15,00 cada.

O menu de pratos salgados inclui as seguintes opções: couvert, porções, sopas, saladas, pratos leves, entradas, massas, risotos, peixes, frutos do mar, carnes, aves, fritas e snacks. Pedimos dois pratos principais. Eu escolhi o Steak Haché à “Helena Ranaldi” (Polpettone recheado de queijo brie derretido, ao molho de tomate, acompanhado de capellini) por R$58,00. Achei gostoso, massa do capellini bem fininha, molho com tempero na medida certa, mas o polpettone com pouco recheio.

Já o Lucas, pediu Boeuf Bourguignon à “Alessandra Negrini” (cozido de carne ao vinho tinto, legumes e bacon, acompanhado de arroz à Provençal) por R$65,00.

Quanto às sobremesas, as opções vão desde as clássicas (cocada, minichurros, crepe, mousse, mil folhas, etc) até diversas variações do crème brûlée e do petit gateau.

Eu pedi o Crème Brûlée Classique au picolé à vanille au chocolate à “Lua Blanco” (crème brûlée de fava de baunilha, casquinha de açúcar queimado, creme de avelã, picolé de vanilla com casquinha de chocolate, leite condensado, avelãs granuladas e morangos em pedaços) por R$29,00. Que sobremesa maravilhosa!! Já quero de novo! Rsrs. Muito gostosa, casquinha crocante e combinou muito o sabor do crème brûlée com os morangos. Bem servida, poderia facilmente ser dividida entre duas pessoas. Como não sabíamos disso, o Lucas também fez um pedido.

A escolha dele foi o Petit Gateau au Ovomaltine à “Fernanda Gentil” (bolinho quente de chocolate com recheio de creme de Ovomaltine, acompanhado de sorvete ne vanilla DILETTO, dois quadradinhos de Hershey’s Ovomaltine, finalizado com ganache de chocolate meio amargo, Ovomaltine em pó e toque de leite condensado) por R$28,00. Geralmente o Lucas não gosta muito de comer doce, mas ele também aprovou as sobremesas que comemos no Paris 6. Houve um engano no pedido dele, o petit gateau foi entregue sem os “dois quadradinhos de chocolates Hershey’s”. Informamos à garçonete e ela trouxe depois um potinho com quatro quadradinhos.

O Paris 6 é um local com preços mais elevados, mas encontramos duas maneiras de economizar na conta. O bistrô tem uma parceria com o cartão de crédito Santander Mastercard, então, na compra de um prato principal o cliente pode escolher qualquer sobremesa do cardápio gratuitamente, utilizando-o no pagamento. Entretanto, há uma restrição: a promoção só é válida para uma sobremesa por cartão de crédito. Outra opção é observar os cupons promocionais disponíveis no aplicativo Paris 6.

No geral, Lucas e eu gostamos da nossa experiência, mas concordamos que nossas escolhas dos pratos principais não foram excepcionais. Estavam gostosos, porém, não acima da qualidade de outros restaurantes. Já as sobremesas compensam bastante, pela variedade e também pelo fato de serem bem servidas. Além destes pontos, o horário de funcionamento até às 03h00 é uma ótima opção para comer nas madrugadas de BH, seja após a última sessão do cinema, quando a praça de alimentação já está fechada, ou depois de assistir à um show no BH Hall (antigo Chevrolet Hall), por exemplo.

*OBS: Visitamos o Paris 6 em Agosto de 2016 e tanto o cardápio quanto os valores estão sujeitos à alterações. 

Anúncios

Um comentário em “Paris 6 – Belo Horizonte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s